Um papo com Netão, um dos principais açougueiros e churrasqueiros do Brasil

Entrevista exclusiva

O açougueiro e empresário santista Domingos Neto, o Netão, como é conhecido por todos, é referência no assunto churrasco e carnes de qualidade, e está à frente de uma das melhores casas de carnes da região, a Bom Beef

A paixão pelo universo das carnes começou cedo, já que Netão frequentava o açougue da família desde criança e aos 14 anos começou a trabalhar no pequeno frigorífico de pescados do pai. Aos 16 anos, saiu de casa para trabalhar e morar com o tio, quando começou como entregador no seu açougue e em uma semana passou a trabalhar no balcão, já manipulando as facas.

Em 2013, já aos 28 anos, Netão comprou o açougue que já não era mais do tio, na Avenida Pedro Lessa. Dois meses depois, mudou o nome para Bom Beef e resolveu ficar na porta chamando a clientela, para que a vizinhança soubesse que a família dele estava de volta ao comando da casa. Ele lembra que à época eram somente ele, um açougueiro e uma caixa.

“Mas o meu projeto já era trabalhar com carne de qualidade e, por isso, eu selecionava tudo diretamente nas fazendas”

A preocupação com a carne de qualidade sempre fez parte dos planos de Netão e, por isso, o negócio vem crescendo a passos largos.

“Carne boa tem que ter maciez, sabor diferenciado e suculência. Além disso, nos preocupamos com a seleção do gado, a genética, o tipo de pasto, com o transporte para o abate, sempre respeitando o animal e buscando estudar o assunto”

Para divulgar a novidade ainda pouco conhecida por aqui, ele criou perfis no Instagram e no Youtube, onde ensina sobre os novos cortes, com isso, a Bom Beef foi começando a criar um público segmentado para carnes especiais de churrasco.

Na entrevista que segue, Domingos Neto me contou sobre como é ser um dos mais conhecidos açougueiros e churrasqueiros do Brasil e como está tocando o negócio em plena pandemia. Vem ver!

Como você se descobriu um apaixonado pelo universo das carnes?

Venho de uma família de comerciantes e todos trabalhavam muito. E o momento de estarmos todos juntos era domingo à tarde, quando fazíamos churrasco. Meu pai e meu tio comandavam a churrasqueira, e eu, desde os sete anos de idade, estava por perto. Meu tio e padrinho era proprietário do açougue, onde hoje é o Bom Beef, e eu frequentava a casa de carnes no domingo de manhã, e desde criança comecei a me apaixonar pela vivência entre açougue e churrasco.

Quais são os valores que você procura enaltecer no seu negócio?

Procuro trabalhar em cima de três pilares. Primeiro: carne de qualidade, procuro sempre ter a melhor carne do Brasil, não que sempre eu consiga, mas eu sempre corro atrás dela. Segundo: transparência e qualidade no atendimento, procuro ser sempre mais transparente possível com meus clientes e sempre ter o melhor atendimento possível, com treinamentos semanais com a nossa equipe e mostrando nosso dia a dia pelas redes sociais. Terceiro: higiene, que é fundamental quando a gente vai trabalhar com alimentos, pois a higiene garante a nossa segurança. Uma empresa que não preza pela higiene não vai ter alimentos com qualidade.

Você se especializou em cortes diferenciados, carnes nobres. Por que decidiu ir por este caminho?

O açougue era do meu padrinho, do meu tio, e eu trabalhei lá por um tempo, cheguei a ser gerente, mas eu tinha o sonho de comprar a casa de carnes dele. Então, eu fui trabalhar em navios de cruzeiros fora do país. Quando o navio aportava em cidades diferentes, e eu ia nos açougues e churrascarias conhecer o trabalho que faziam por lá. Então, tive a oportunidade de conhecer os açougues e churrascarias ao redor do mundo e assim descobri os cortes especiais que não existiam no Brasil. Quando eu retornei a Santos, consegui comprar açougue e quis introduzir esses cortes que eu tinha aprendido e a qualidade de carne que eu tinha visto por lá.

Além de empresário e açougueiro, é bom churrasqueiro. Como passou a fazer churrasco?

Na verdade, eu comecei a fazer churrasco com meu pai e com meu tio, quando era criança. Enquanto meu pai ia tomar uma cervejinha, uma água, ele falava: filho, fica aqui olhando a carne. Eu ficava por ali, amava aquilo. Quando eu tinha 18 anos, meu pai teve uma churrascaria e trabalhei lá, mas não são essas as técnicas que uso hoje no meu dia a dia. Onde eu mais aprendi a fazer as carnes da maneira que eu faço hoje foi rodando o mundo, conhecendo técnicas de preparo de carne que a gente não conhecia muito bem aqui no Brasil, principalmente na Argentina, no Uruguai, na Europa e nos Estados Unidos. Técnicas que procuram extrair mais o sabor da carne do que aquelas que a gente tinha aqui, porque elas procuram a tal da reação de Mailard, uma reação química que extrai o sabor dos açúcares da carne. E aí comecei a introduzir isso no meu churrasco. É claro que, em paralelo a isso, também fiz alguns cursos no Brasil e pelo mundo, e busquei muito conhecimento em livros.

Hoje você soma mais de um milhão e meio de seguidores nas suas redes. Por que resolveu trazer sua imagem para a internet?

Sim, 1 milhão e 600 mil. Na verdade, eu comecei a ter os cortes especiais com carnes de qualidade no meu açougue, mas poucas pessoas conheciam isso. Então, eu precisava criar um público para poder vender essas carnes, para que as pessoas pagassem um pouquinho a mais nesses cortes que elas não conheciam. Eu precisava fazer com que as pessoas tivessem vontade de experimentar esses cortes. Por isso, comecei a explicar pelo Instagram o que era o corte, como ele era tirado, porque ele era melhor, e aí com o tempo, eu acabei virando referência nacional. Mas o intuito inicial era apenas conquistar clientes aqui em Santos, mas como a internet não tem freio, eu acabei ficando um pouco conhecido no Brasil e também fora do país.

Que outros negócios e oportunidades, surgiram com o Bom Beef?

Hoje, eu tenho linhas de produtos licenciados com a minha marca (sais, aventais, bonés, molhos e por aí vai). Sou patrocinado por algumas empresas, ministro workshops em Santos e pelo Brasil, e já tive vários convites para fazer fora do país. E, em breve, vamos abrir uma Parrilla, ao lado do açougue, onde iremos servir as carnes de qualidade já grelhadas para os nossos clientes.

Quais os segredos de um bom churrasco?

Primeiro segredo do churrasco é espeitar a carne, tratar ela com carinho. Segundo segredo é uma brasa boa, uma brasa que já foi acesa pelo menos uma hora antes, porque a gente já vai ter pouca incisão de labaredas. E o terceiro, mas não menos importante, ter uma carne de qualidade, porque um churrasco com uma carne de qualidade te traz uma sensação de prazer que você vai relembrar por muito tempo. Churrasco sem carne de qualidade, é apenas mais uma refeição. Você não vai ter uma memória afetiva desse.

Em seu canal no Youtube você ensina como identificar o ponto da carne no churrasco. Pode explicar pros leitores? Como é isso de ‘o boi morreu em vão’?

Eu acredito muito que o pico de maciez, da suculência e da qualidade da carne é quando a carne está ao ponto menos, isso para cortes grelhados, é claro. Para cortes assados, como costela, cupim, nós precisamos fazer essa carne bem passada pra que ela fique macia. Mas cortes para grelhar como ancho, chorizo, picanha, a gente não precisa quebrar o colágeno da carne pra ficar macia. Ela já é macia e a gente consegue atingir o pico de suculência, maciez e sabor ao ponto menos. Se eu faço essa carne bem passada, eu perco muito dessa carne e aí a gente faz a brincadeira de que o boi morreu em vão. Mas é claro, o principal do churrasco é você confraternizar com a sua família ou amigos. Se você gosta da carne bem passada, faça ela como você preferir. O importante é celebrar o momento.

Como tem sido tocar um açougue com carnes de qualidade em tempos de pandemia e isolamento social? Como está o seu negócio?

Na verdade, a gente buscou se reinventar e trazer comodidade para os clientes. Primeiro, a gente contratou muitos motoboys, aumentou equipe com atendentes, ajudantes, enfim, criamos um setor de expedição, que não tinha dentro do açougue. Era uma coisa muito mais simples antes, e também a gente criou kits diários, para facilitar pro cliente. Ele não precisa ligar no açougue escolher corte por corte do que ele precisa. Eu já seleciono alguns cortes, monto o kit e todo dia vendo ao meio-dia. Na verdade, na pandemia, o nosso negócio acabou crescendo em faturamento. É claro que não aumentou o lucro, porque tivemos que aumentar muito o nosso número de funcionários. Foram 25 funcionários a mais contratados durante a pandemia, mas o nosso faturamento também acompanhou e a gente conseguiu manter aí mais ou menos o lucro que a gente tinha antes da pandemia.

Durante a quarentena não é prudente organizar churrascos. As pessoas estão buscando outras alternativas para comer uma boa carne mesmo assim? Você sentiu diferença no movimento do açougue e na escolha dos cortes?

A grande verdade é que a gente percebeu a diminuição de churrasco para muitas pessoas, mas muito mais churrascos para poucas pessoas. Antigamente, a gente vendia num sábado mais ou menos uns quinhentos churrascos para dez, doze pessoas em média. Hoje, a gente vende, num sábado, mais ou menos uns dois mil churrascos para três, quatro pessoas. Então, o número de cortes não diminuiu, o que diminuiu foi a quantidade de produtos pra cada cliente que compra as nossas carnes.

Diego Brígido

Editor da Revista Nove | Guia Comer & Beber

Mais buscadas

#tbt ação social afro airbnb aldeia alimentação almoço amor anchieta anime animesantos aniversário aniversário de Santos ano novo ano novo praia grande antologia aquario aquário de santos arena hologate arquitetura arquitetura modernista arte arte no dique artista local atração autismo automotivação avenida baixada santista balão magico balão mágico sinfônico banda melim bares bazar bebida beijaflor beneficente bernardino bernardino de campos bertioga bicicleta bike birdwatching black friday blues boat week bonde bonde turístico bossa nova bossa nova em santos Brasil brisamar shopping bruna marquezine cachaça cães café café árabe cafeterias campanha canais de santos caravana carla mariani carnabanda carnabanda 2020 carnabonde carnabonde 2020 carnaval carnaval 2020 carnaval de rua carnaval de santos carnaval em bertioga carnaval em mongagua carnaval em santos carnaval em sao vicente Carnaval Liberal Solidário de Santos carnaval santista carnaval2020 carnavalsantista carreira casamento casarão da tuiuti cata treco cata treco santos cbjr cbjr em santos cemitério israelita cenário cenários centro histórico ceramica cerveja cerveja artesanal chamada charlie brown jr chopp chorão churrasco chuva chuva em santos chuva na região cidade de santos ciência cine autorama cinema cinema em santos cinesystem circo circo dos sonhos clantransdestina clima clube de pesca coach coaching coca coca cola coletivo comer e beber comercial compras concerto concha acústica confraternização consciência negra conscientização consumo consciente contadores de historia conteiner coração coronavirus cortejo quiloa coworking criança crianças cruzeiro cruzeiros cubatão cuidado cultura cultura caiçara culturageek curiosidades curso cursos cursos de férias curta metragem curta santos dança desfile design design gráfico designer destinos dia das bruxas dia das mães dia de finados diogo nogueira diversao dp world dp world santos dragão drinks drive in ecologico economia criativa ecoturismo edificil marahu educação emocional empreendedorismo empreender e transformar empresa empresas portuárias encenação encontro encontro de criadores engenho dos erasmos entretenimento entrevista escola de empreendedorismo escola de samba espelho espetáculo esporte esportes estabilidade Estação do Valongo estação verão estação verão praia estação verão show estilo de vida EUA evento eventos eventos em Santos exposição família fantasia feira feira criativa feira de natal feito a mão feriado férias ferrovia fescete festa festa junina Festa Mares do Sul festas festival festival da imagem festival de musica filme filme em santos fim de ano finados flamenco flores fonte fonte interativa forró forró pé na areia fotografia fotos antigas fotos antigas de santos fotos antigas praia grande futebol futebol caiçara game gastronomia geek geekfest golf gonzaga grafite granderio gravação grupo especial grupo feitiço grupo mendes guarujá guilherme arantes halloween handmade história história de santos Hora da Cultura hospedagem hotéis hotel atlantico hotelaria humor iate iate clube de santos iates de luxo ilha das palmas impacto social instituto procomum inteligencia inteligencia emocional intenção inverno istalação artística itanhaém itararé iza jabaquara japones jazz jogo de tabuleiro juicy juicy santos juicybazar kascão LAB lançamento lançamento de livro lazer lendas leo maia leonardo miggiorin lgbt liberdade lifestyle limpeza liquidação literatura litoral festival litoral norte litoral plaza litoral plaza shopping litoral sul livro de poema livros lixozero looping star lucky tattoo macuco mar maracatu marcas meeting arq experience melim melim em santos mendes convention center mente emocional mente racional mercado de peixes metas moda mongaguá monicaverso montanha russa monumento monumentos mosaico jogos mostra mostra de arte mostra fotográfica mpb msc msc sinfonia mudanças mulheres muretas de santos museu museu da água museu do café museu do exercito museu do forte museus música música classica nacional natal natal em santos natal inclusivo natureza negócios neguinhodabeijaflor nerd netflix nossa história nossa senhora nossa senhora aparecida nova ponta da praia novembro azul o coletivo o que fazer objeto ceramico obras oficina onde beber oportunidade orla orla da praia orla de santos orquestra orquidário orquidário de santos oxigênio criativo paixão de cristo palacete mauá palácio das artes palestra papai noel papai noel se importa parada de natal parque parque ecológico Parque Ecológico do Perequê parque magic dragon páscoa passeio patati patata patinete patinete em santos patio iporanga patrimônio peça percurso perequê persona personagens peruíbe pesquisa pet pet em casa pet friendly pets pin up pinacoteca plataforma plinio marcos plinio marcos presente podcast podcast tu sabia poesia ao infinito ponta da praia porto porto de santos portuguesa praia praia do gonzaga praia grande praiamar praias prefeitura de santos premiação presente presentes presidente wilson prevenção primeira guerra produções programação projeto cultural projeto social projetos promoção propaganda qualidade de vida quarentena quiloa rainha de bateria realidade virtual recreação restauração restaurantes reveillon réveillon em santos réveillon praia grande revela bertioga revista mirante revista nove rio santos bossa fest riviera riviera boat riviera de são lourenço rococco rodovia role roteiro roteiro turístico samba sambaenredo santo santos santos carnabanda 2020 santos carnabonde santos city santos criativa santos e região santos em verso e prosa santos jazz festival santoscity são paulo são vicente saúde segurança semana de cultura caiçara sesc sesc jazz sesc santos sherlock holmes shopping shopping balneário shopping patio iporanga shopping villamar shoppings da região show show de natal show em santos shows shows praia grande signos possíveis single social sofitel solidariedade sorvete sorvete kascão stand up startup sucesso sunset party sustentabilidade tarrafa tattoo tatuagem teatro tecnologia tenor tenor jean william terminal portuário terror trabalho voluntário tu sabia turismo turismo em santos turismo religioso turma da monica turne charlie brown junior ubatuba unesco urbanização vaga de emprego valongo vegan veganismo vegetarianismo verão vida noturna vila de são vicente villamar vinho vinhos vintage virada cultural virada sp visibilidade trans visita noturna vou nadar até voce vulcão vulcão do macuco workshop workshop de vinho xande de pilares zeca pagodinho zero treze zerotreze