Kasato Maru: o navio da esperança que aportou em Santos

Sua história é digna de filme, mas sem DiCaprio, Kate Winslet ou sequer atores americanos e sim japoneses.

Sua história é digna de filme, mas sem DiCaprio, Kate Winslet ou sequer atores americanos e sim japoneses. Muitos atores japoneses. E russos. Kasato Maru foi construído no Reino Unido e batizado inicialmente de Potosi. Comprado pela Rússia em 1900, passou a se chamar Kazan e foi utilizado como navio-hospital durante a Guerra Russo-Japonesa.

Com a derrota na batalha, em 1905, os russos deveriam entregar o navio aos japoneses como indenização de guerra. Contrariados, afundaram o Kazan. Os orientais o recuperaram e o adaptaram para transportar passageiros e levar de volta ao Japão os soldados que haviam lutado na Manchúria.

Nos anos que seguiram, 1906 e 1907, o então Kasato Maru passou a transportar imigrantes japoneses para o Havaí, Peru e México. Em 1908, o Brasil entra na história, quando após uma viagem de 52 dias, com início no Porto de Kobe, em 18 de junho, o navio aporta em Santos, no cais do Armazém 14, com o primeiro grupo oficial de imigrantes japoneses, constituído por 781 pessoas (165 famílias).

Em busca de melhores condições de vida, os japoneses que aqui chegaram foram trabalhar nos cafezais do oeste paulista. A assinatura da Lei Áurea, que libertou os escravos em 1888, provocou uma grave crise agrícola e os fazendeiros de café reivindicavam mão-de-obra. Então, em 5 de novembro de 1895 foi assinado o Tratado de Amizade, Comércio e Navegação, que abria as nossas portas aos japoneses.

Já haviam imigrantes japoneses no Brasil antes da chegada do Kasato Maru, mas foi a chegada deste primeiro grupo que iniciou um fluxo contínuo de japoneses para o Brasil, que hoje somam mais de um milhão e quinhentos.

O Kasato Maru ainda voltou ao Brasil em 1917, como navio cargueiro, até que passou a fazer parte da esquadra japonesa na Segunda Guerra Mundial e, em 1945, foi bombardeado – novamente pelos russos – e afundou no Mar de Bering.

Expedição Científica Kasato Maru

É um sonho da comunidade nipônica brasileira resgatar as peças do navio, que ainda se encontra submerso no mar gelado da Rússia, na Península de Kamchatka. Para isso, a pedido da Embaixada da Federação da Rússia no Brasil, o Governo Russo designou a Sociedade Geográfica Russa para coordenar uma expedição que não só resgate as peças do navio naufragado, como realize uma pesquisa científica, que envolve questões como aquecimento global e biologia marinha. A Rússia volta à história, desta vez para ajudar.

O acervo encontrado deve vir para o Brasil em 2017 e compor mostras itinerantes por todo o país. Uma das peças irá ficar com o Governo Japonês para uma exposição definitiva no Porto de Kobe, onde toda a história começou. Dá ou não dá um filme?

Diego Brígido

Editor da Revista Nove | Guia Comer & Beber

Mais buscadas

#tbt ação social afro aldeia alimentação almoço amor anchieta anime animesantos aniversário de Santos ano novo aquario arquitetura arte arte no dique avenida baixada santista bares bazar bebida beijaflor beneficente bernardino bernardino de campos bertioga bicicleta bike birdwatching boat week Brasil cachaça cães café cafeterias campanha caravana carnaval carnaval2020 carnavalsantista carreira casamento cenário centro histórico cerveja cerveja artesanal chamada chopp ciência cine autorama cinema cinema em santos circo clima coach coca coca cola coletivo comer e beber compras concha acústica confraternização consciência negra conscientização contadores de historia coração coworking crianças cruzeiro cruzeiros cubatão cuidado cultura culturageek curiosidades curso cursos curta metragem curta santos dança desfile design design gráfico designer dia das bruxas dia das mães dia de finados diversao drinks drive in ecologico economia criativa ecoturismo educação empreendedorismo encontro encontro de criadores engenho dos erasmos entretenimento entrevista espetáculo esporte esportes EUA evento eventos eventos em Santos exposição família fantasia feira feriado férias festa festa junina festas festival festival da imagem filme fim de ano finados flores fotografia gastronomia geek geekfest golf granderio guarujá halloween handmade história hospedagem hotéis hotelaria humor intenção inverno itanhaém japones jazz juicy juicy santos juicybazar LAB lançamento lazer lendas leo maia lgbt liberdade limpeza literatura litoral norte litoral plaza litoral plaza shopping litoral sul livros lixozero lucky tattoo macuco mar mendes convention center metas moda mongaguá monumentos mostra mudanças mulheres museu museu da água museu do exercito museu do forte museus música música classica nacional natal natureza negócios neguinhodabeijaflor nerd nossa história novembro azul o que fazer obras oficina onde beber oportunidade orla orla da praia orla de santos palestra papai noel parada de natal parque páscoa passeio patinete patinete em santos patrimônio peça percurso persona personagens peruíbe pesquisa pet friendly pets pinacoteca plinio marcos plinio marcos presente praia praia do gonzaga praia grande praias premiação presentes presidente wilson prevenção primeira guerra projeto social projetos qualidade de vida restaurantes reveillon revela bertioga revista nove riviera riviera boat riviera de são lourenço rodovia role roteiro roteiro turístico sambaenredo santos santos city santos jazz festival santoscity são paulo são vicente saúde segurança sesc sesc jazz sesc santos shopping show shows social sofitel solidariedade stand up sustentabilidade tarrafa tattoo tatuagem teatro tenor tenor jean william terror trabalho voluntário turismo turismo religioso valongo vegan veganismo vegetarianismo verão vida noturna vinho vinhos vulcão vulcão do macuco workshop zeca pagodinho zero treze zerotreze