O surf e o instituto Gabriel Medina

Formando novos campeões

Foi nas ondas de Maresias, em São Sebastião, que o primeiro brasileiro campeão mundial de surf, Gabriel Medina, aprendeu a surfar.

É lá também que ele está deixando um legado para as novas gerações de surfistas, por meio de um projeto idealizado e financiado com recursos próprios.

A ideia do Instituto Gabriel Medina surgiu antes da conquista do campeonato mundial, mas virou realidade em fevereiro de 2017 (Medina conquistou o título em 2014, aos 20 anos).

O projeto surgiu para formar novos campões no surf, inspirados pela trajetória do maior ídolo da modalidade brasileira na atualidade e já se tornou referência no Brasil e até no exterior como centro de preparação de alto rendimento para jovens talentos do esporte.

A seleção

Os integrantes do projeto, jovens de 10 a 17 anos, são selecionados no Circuito Medina de Surf e o IGM oferece, gratuitamente, toda a estrutura necessária para se tornarem campeões, além de proporcionar aos atletas aulas de idiomas.

Os jovens também recebem alimentação, pranchas e roupas de borracha, custeio de viagens para competição, além de outros benefícios como treinamentos de natação e de apneia, apoio psicológico e tratamentos fisioterápico e odontológico. Como contrapartida, o Instituto exige a frequência nos treinos e na escola, no contraturno.

Gabriel Medina

Nascido em 22 de dezembro de 1993, Medina começou a surfar aos nove anos, influenciado pelo pai, Charles Saldanha, em Maresias. O primeiro título de destaque nacional veio aos 11 anos no Rip Curl Grom Search, na categoria sub12, em Búzios, no Rio de Janeiro.

A primeira conquista no exterior foi o segundo lugar no Volcom Sub14, na Califórnia. Em 2009, Medina assinou contrato com a Rip Curl e iniciou a carreira profissional.

No mesmo ano venceu a etapa do Mundial, no Brasil, e em 2011 se garantiu na elite mundial, com apenas 17 anos, o mais jovem até hoje. Foi campeão mundial Pro-Júnior, também pela World Surf League (WSL), em 2013, comemorando o título no Brasil, na Praia da Joaquina, em Florianópolis.

No ano seguinte, se consagrou o primeiro brasileiro campeão mundial, que garantiu a Gabriel o status de ídolo nacional.

Diego Brígido

Editor da Revista Nove

Mais buscadas

#tbt ação social aldeia alimentação almoço amor ano novo aquario arquitetura arte arte no dique baixada santista bares bazar beneficente bertioga birdwatching cães café cafeterias carnaval carreira casamento cenário centro histórico cerveja cerveja artesanal chopp ciência cinema circo coletivo comer e beber compras confraternização consciência negra coração coworking crianças cruzeiros cubatão cuidado cultura curiosidades cursos curta metragem curta santos dança design design gráfico designer dia das mães drinks ecologico economia criativa ecoturismo educação empreendedorismo encontro encontro de criadores entretenimento entrevista espetáculo esporte esportes evento eventos eventos em Santos exposição família feira feriado férias festa festa junina festas festival fim de ano flores gastronomia geek golf guarujá handmade história hospedagem hotéis hotelaria humor inverno itanhaém japones juicybazar lazer lendas lgbt liberdade limpeza literatura litoral norte litoral plaza litoral plaza shopping lucky tattoo mar moda mongaguá mostra mudanças mulheres museu museus música natal natureza negócios o que fazer obras oficina onde beber oportunidade palestra papai noel páscoa persona personagens peruíbe pesquisa pet friendly pets praia praia grande praias presentes prevenção projeto social restaurantes reveillon revista nove riviera de são lourenço roteiro turístico santos são paulo são vicente saúde segurança shopping show shows social sofitel solidariedade stand up sustentabilidade tattoo tatuagem teatro trabalho voluntário turismo turismo religioso vegan veganismo vegetarianismo verão vida noturna vinho vinhos workshop