A Cris, do quiosque

Você pode até não frequentar, mas certamente já ouviu muito sobre o Quiosque da Cris, na Praia do Itararé, em São Vicente.

Especializado no público LGBT, esse cantinho, próximo à Ilha Porchat, acolhe, na verdade, todos os públicos com o carinhoso e personalizado atendimento da Cris. Então, de verdade, você não precisa ser lésbica, gay, bissexual, travesti, transexual, transgênero, crossdresser ou drag queen para se sentir à vontade no Quiosque da Cris.

Cristiane Margarida Lopes Lorca começou a frequentar São Vicente em 1986, quando saiu de Pirajuí, no interior de São Paulo, cidade onde nasceu. Se instalou no litoral e comprou um carrinho para vender pastéis na praia, na época em que a orla ainda era tomada pelos trailers de lanches.

Se encantou por um trailer cor de rosa que estava fechado e conseguiu arrendar dos donos, que eram de São Paulo. Migrou do carrinho para o trailer, que recebeu o nome de Mudança Radical e ganhou a famosa bandeira do arco-íris.

Por ser gay, Cris começou a atrair seus amigos e um público LGBT ao novo espaço, onde ficou por 15 anos, dedicada a este segmento. ‘Apesar de ter me especializado neste público, nunca deixei de receber meus clientes do carrinho de pastel e até hoje recebemos vovôs, vovós, netinhos, famílias e casais heterossexuais aqui no quiosque’, alegra-se.

Quiosque da Cris

Quando aconteceu a reurbanização da orla, os trailers foram retirados e cada proprietário tinha direito a concessão de um quiosque. Cris conseguiu comprar dos antigos proprietários o quiosque e mudou, então, o nome para Quiosque da Cris. ‘Durante a reurbanização, nós ficamos três meses sem trabalhar, então todos os dias eu sentava numa cadeira na praia e dizia para as pessoas que passavam: olha, é ali que vai ser o Mudança Radical’, lembra emocionada.

Nesta transição, Cris assumiu, então, a sua orientação sexual e, no começo, perdeu parte do público que frequentava o carrinho de pastel. ‘As pessoas precisaram de um tempo para se acostumar com a ideia. Mas depois todos voltaram a frequentar o quiosque, pois eu faço questão de manter um ambiente de família e exijo que haja respeito aqui’.

O Quiosque da Cris – ou Barraca da Cris, como muitos ainda chamam – é conhecido no Brasil inteiro e recebe, inclusive, turistas de vários lugares do mundo. Cristiane é uma precursora em atender o público LGBT na Baixada Santista, mas essa conquista não veio sem muito sacrifício, preconceito e luta para manter seu negócio de pé. ‘Já apanhei de skinhead e fui parar várias vezes na delegacia, por causa do preconceito’.

O ambiente acolhedor, familiar e o atendimento personalizado ajudaram a cativar o público que o quiosque recebe hoje. Cris está praticamente todos os dias por lá – e, é bom lembrar, tem o respaldo da esposa e parceira, Elisa, com quem é casada há 14 anos – e faz questão de cumprimentar todos os clientes nas mesas, com um carinhoso beijo e um brilho no olhar de quem sabe que está no caminho certo.

Nos finais de semana com sol, o quiosque recebe até seis mil pessoas e mantém 15 funcionários treinados para atender todos os públicos, sem distinção. ‘Eu sempre digo aos meus clientes: você é muito bem-vindo aqui, eu adoro cuidar de você, mas respeite a minha casa, aqui é um ambiente familiar’.

Certamente, é por isso que no Quiosque da Cris todos os públicos se entendem, se respeitam e convivem em paz. Além de gerir de perto o negócio, Cristiane ainda vai para a cozinha, preparar lanches, porções ou bebidas, quando os clientes pedem.

Pé na areia

O Quiosque da Cris também ganhou uma extensão pé-na-areia, uma barraca administrada por Elisa, com cadeiras, guarda-sóis e mesinhas. ‘Durante o dia, a barraca enche antes do quiosque e as pessoas ficam aqui esperando vaga para ficar no nosso pé-na-areia’.

‘Mas então é o Complexo da Cris e não mais o Quiosque da Cris’, brinco com ela. ‘Sim, e quem sabe, em breve, colocamos um iate da Cris aqui na frente’, rebate.

Vida longa aos negócios da Cris, que têm feito tanto pelo respeito à diversidade!

Mais buscadas

#tbt ação social aldeia alimentação almoço amor ano novo aquario arquitetura arte arte no dique baixada santista bares bazar beneficente bertioga cães café cafeterias carnaval carreira casamento cenário centro histórico cerveja cerveja artesanal chopp ciência cinema circo coletivo comer e beber compras confraternização consciência negra coração coworking crianças cruzeiros cubatão cuidado cultura curiosidades cursos curta metragem curta santos dança design dia das mães drinks ecologico economia criativa ecoturismo educação empreendedorismo encontro encontro de criadores entretenimento entrevista espetáculo esporte esportes evento eventos eventos em Santos exposição família feira feriado férias festa festa junina festas festival fim de ano flores gastronomia geek golf guarujá handmade história hospedagem hotéis hotelaria humor inverno itanhaém japones juicybazar lazer lendas lgbt liberdade limpeza literatura litoral norte litoral plaza litoral plaza shopping lucky tattoo mar moda mongaguá mudanças mulheres museu museus música natal natureza negócios o que fazer obras oficina onde beber oportunidade palestra papai noel páscoa persona peruíbe pesquisa pet friendly pets praia praia grande praias presentes prevenção projeto social restaurantes reveillon revista nove riviera de são lourenço roteiro turístico santos são paulo são vicente saúde segurança shopping show shows social sofitel solidariedade stand up sustentabilidade tattoo tatuagem teatro trabalho voluntário turismo turismo religioso vegan veganismo vegetarianismo verão vida noturna vinho vinhos workshop