Jardim da orla de Santos

Galeria de arte a céu aberto

Ele é conhecido como um dos espaços mais democráticos da cidade, pois em seus 5.335 metros de comprimento, o Jardim da Praia reúne crianças, jovens, adultos e idosos para caminhadas, pedaladas, bate-papos e muitas outras atividades esportivas, culturais e de lazer.

O jardim está no Guinness Book of Records como o maior jardim frontal de praia em extensão do mundo, reconhecido em 2001 e mantendo até hoje a conquista.

Este cinturão colorido que abraça Santos abriga mais de 80 tipos de flores, divididas em cerca de 1300 canteiros, floreiras e vasos, além de outras quase 1800 árvores de vários portes, como as palmeiras, as cicas e os chapéus-de-sol.

Esta rica flora atrai, é claro, aves de várias espécies, algumas endêmicas, que constroem ninhos e vivem por lá e outras que usam o jardim como ponto de descanso nos voos para fora do continente ou para se alimentarem.

Mas há um lado deste belíssimo cenário que talvez passe despercebido para alguns: o Jardim da Orla de Santos guarda em todo o seu percurso 38 monumentos, entre estátuas, bustos, placas comemorativas e conjuntos escultóricos que contam partes significativas da história da cidade, do Brasil e do mundo.

Desde o Parque Municipal Roberto Mário Santini, no Emissário Submarino, até a Ponta da Praia, é possível conhecer personagens que ajudaram a construir Santos e toda a região nesta verdadeira galeria de arte a céu aberto. Aqui vamos apresentar alguns e convidamos você a conhecer o restante pessoalmente.

Emissário Submarino

Os Imigrantes Japoneses

É difícil não se emocionar com o conjunto escultórico instalado na entrada do parque, que representa um casal de imigrantes japoneses com o filho, ao chegarem ao Brasil, pelo Porto de Santos. O homem aponta em direção à nova terra e, ao lado, uma pedra traz a inscrição ‘À Esta Terra’, em português e japonês.

CANAL 1

Aqui pode-se encontrar uma estátua que homenageia Saturnino de Brito, engenheiro sanitarista que projetou o jardim e os canais de Santos. Saturnino segura o projeto dos canais com a sua assinatura. Uma justa homenagem.

Canal 2

Nas proximidades do Canal 2, alguns monumentos podem ser contemplados, como a estátua do poeta Martins Fontes, que viveu nas proximidades, além da homenagem a Osmar Gonçalves, um dos pioneiros do surf no Brasil e o famoso Monumento ao Surfista, pegando onda no centro de uma fonte luminosa.

O Monumento a Cristóvão Colombo, em homenagem ao V Centenário da América, mostra o navegador em uma caravela desbravando o mundo.

GONZAGA

Aqui dois monumentos fazem parte da história de santistas e visitantes e já foram registrados em muitas fotos. Um casal de leões integra o jardim há mais de 60 anos, mas o que a maioria não sabe é que a leoa, na verdade, é um jaguar.

Canal 3

Outro conjunto de monumentos marca este trecho do jardim. O Relógio do Sol, uma invenção egípcia de mais de 4 mil anos, marca as horas com a sombra projetada pela luz solar que incide sobre o gnômon, a haste de metal no seu centro.

Vicente de Carvalho, ‘o poeta do mar’, também está representado em um conjunto escultórico, onde flutua sobre as ondas cercado por ninfas. O monumento foi instalado em 1946 e dez anos depois foi mudado de lugar e colocado de costas para o mar, causando estranhamento.

Ali também estão os bustos da ‘poetisa das rosas’ Maria José Aranha de Rezende e da escritora Lydia Federici, em homenagem ao Movimento de Arregimentação Feminino e Andarilhos de Enguaguaçu.

Canal 4

Aqui, na altura da suntuosa Igreja Santo Antônio do Embaré, fora do jardim, do outro lado da avenida, encontra-se a homenagem a Santo Antônio, uma estátua em bronze no centro de uma ilha, que representa o Santo com a mão esticada aos peixes na fonte, que hoje já não podem mais ser vistos.

CANAL 5

Neste trecho outros monumentos se destacam, dentre eles um busto de Alberto Santos Dumont e uma homenagem aos imigrantes que chegaram ao Brasil nos séculos XIX e XX, além da disputada Fonte do Sapo.

CANAL 6

O monumento ‘O Pneu Furou’ marca o fim do trecho do jardim na orla e homenageia os ciclistas que pedalam por ali diariamente a passeio ou a trabalho.

CANAL 7

Aqui uma justa homenagem ao jesuíta José de Anchieta mostra o padre com um crucifixo na mão, ladeado por um jaguar e tendo à frente um índio sendo catequisado.

Como dissemos, há muitos outros monumentos a serem conhecidos. Vale um passeio descompromissado e cheio de histórias percorrendo um dos principais cartões postais da região.

Diego Brígido

Editor da Revista Nove