Catedral de Santos

A Paróquia Nossa Senhora do Rosário, a Catedral de Santos, substituiu a antiga igreja matriz da cidade.

A igreja da matriz foi demolida em 1907, por estar em avançado estado de degradação. Sua construção iniciou em 1909, inspirada no projeto do arquiteto alemão Maximilian Emil Hehl, o mesmo que projetou a Catedral da Sé, em São Paulo, o que justifica a semelhança entre ambas.

Erguida em estilo neogótico, muito comum na época, sua cúpula segue a tendência renascentista. A entrada é guardada pelas estátuas de São Pedro e São Paulo e sua torre ostenta imagens de profetas e dos quatro evangelistas: Mateus, Marcos, Lucas e João.

Possui ainda três naves, dois altares laterais de mármore e duas capelas, uma em cada lado do altar-mor: a do Santíssimo Sacramento, com afrescos de Benedito Calixto, e a de Nossa Senhora de Fátima. A catedral também guarda uma cripta, onde estão enterrados os bispos Dom Idílio José Soares, Dom David Picão e outros sacerdotes, além de um ossuário.

A igreja foi inaugurada provisoriamente em 1924 e, em 1925, com a criação da Diocese de Santos, pelo Papa Pio XI, foi elevada à Catedral, pois ali se encontra a cadeira do Bispo (cátedra). A conclusão das obras só aconteceu em 1967.

A Catedral de Santos fica na Praça José Bonifácio, s/n, no Centro de Santos. Está aberta de segunda à sexta, das 7h às 19h e aos finais de semana, das 8h às 12h.