Conheça o YOLO Cozinha Contemporânea, em Santos

Restaurante abriu as portas com conceito inovador e preocupação com a sustentabilidade

You Only Live Once, ou Você Só Vive Uma Vez

A expressão deu origem ao acrônimo YOLO, nome do novo restaurante santista de cozinha contemporânea, que chega com uma proposta arrojada, prometendo surpreender o público, ainda que em ambiente informal e atendimento despretensioso.

As novidades estão nas apresentações inusitadas de pratos e drinks. Para que a equipe possa testar, pesquisar, produzir e caprichar no menu, o funcionamento da casa será restrito: de quinta a sábado, das 18h à meia noite. Nos demais dias, o YOLO fica disponível para qualquer tipo de evento, desde aniversários, festas corporativas e até mini wedding.

O restaurante surgiu da união do chef santista Bruno Justo, vice-campeão do reality culinário The Taste Brasil, do canal GNT e do empresário Kauê Going, que foi um dos donos do Fernando Pessoa, restaurante português que funcionou no mesmo imóvel do novo YOLO Cozinha Contemporânea.

Bruno conta que o YOLO foi pensado para não ter desperdício e trabalhar com valor de agregado. “Portanto, nossa equipe vai estar na cozinha seis dias da semana para produzir cada preparação no processo que será servido aos finais de semana, como muito carinho”, explica.

O YOLO fica na R. Dom Lara, 38, no Boqueirão, em Santos.

O Menu do YOLO

O menu do YOLO não será fixo, mas sazonal, respeitando o conceito do consumo consciente.

A ideia é reunir elementos de diversas tradições culinárias num só cardápio, com porções pequenas e custo acessível (entre R$ 22 e R$ 38) para que os clientes tenham uma experiência completa.

No menu, não há distinção de entradas, pratos e sobremesas. Tudo para que o cliente fique à vontade para comer o que quiser.

“Teremos alguns carros chefes, mas a ideia é mudar o cardápio semanalmente, com novas experiências para os clientes a cada visita. E isso também estará traduzido na nossa carta de drinks, com alguns clássicos e outros autorais que mudarão com certa frequência”, explica Bruno.

Foto: Rogério Justo

Algumas delícias do YOLO

O menu é composto por criações como a croqueta de frango com gorgonzola (R$ 22 – foto do topo); o tartare de caqui, tomate e melancia (R$ 26); lula, pupunha e cebola roxa (30); cupim e cebola (R$ 30); ancho de angus, molho ranch e fritas (R$ 38); o Terrário YOLO (chocolate, cenoura e laranja – R$ 22, na foto ao lado) e iogurte, frutas vermelhas e aveia (R$ 22).

Uma das apostas do chef Bruno Justo é o prato repolho, feijão preto e bacon de meca (repolho pincelado com gordura de porco, assado lentamente no forno e finalizado na churrasqueira para pegar o sabor do carvão, acompanhado com um caldo oriental de feijão preto e finalizado com bacon de meca e picles de mostarda – R$ 26, na foto acima). “Acredito que esse será uma marca registrada da casa. Queremos apresentar a proteína animal como secundária. O repolho vai ser a estrela do prato”.

Outro destaque da casa é o lagostim, cajamanga e couve-flor (lagostim com purê de couve-flor amenteigado e o gaspacho de cajá-manga, feito com suco de caju, pimentões, vinagre de Jerez – R$ 38).

Quem quiser uma experiência mais completa, pode optar pelo menu degustação de 8 pratos, R$ 198, somente mediante reserva.

Para beber, coquetéis clássicos como Aviador, NY sour, Daiquiri de banana,  caju amigo e gin tônica, além dos autorais, como o YOLO, a base de chá de ervilha roxa, e de cervejas artesanais de cervejarias locais, como a Cais, Demonho e Infected.

Sustentabilidade

Uma das premissas do restaurante é o compromisso com a sustentabilidade. Por isso, foi construída na casa um composteira, para diminuir a quantidade de lixo e gerar como subproduto o adubo para a horta.

Além disso, no YOLO foi projetada uma cisterna para captação de água da chuva e um sistema para utilizar essa água nos vasos sanitários e na limpeza das áreas externas do restaurante.

Como forma de ajudar a comunidade local, os sócios foram atrás de pequenas parcerias para colocar em evidência alguns projetos da região. Os aventais e guardanapos foram confeccionados pela cooperativa de costureiras do Dique da Vila Gilda, na Zona Noroeste; os sousplats e cestas de pão de palha, feitos em parceria com a tribo Awa Porungawa DJU de Peruíbe.

O artesão marceneiro Joel Marques usou madeira de demolição e troncos para fazer o balcão do bar e um banco. E a 4pallets fez o revestimento do caixa com madeira de reaproveitamento, pequenos pedaços de MDF e um mosaico colorido.

Além disso, toda a decoração da casa está à venda, desde os terrários autossustentáveis, produzidos pela Garota Botânica, até obras de Léo Darumaman, que trabalha com colagens de revistas e jornais e fez uma peça exclusiva para a casa. “Vamos vender tudo pelo preço que pagamos, porque o conceito da casa é estar sempre em evolução”.

Dia do Meio Ambiente

Aproveitamento de alimentos

Aproveitamento de alimentos

Na próxima quarta, 5 de junho, comemora-se o Dia do Meio Ambiente e, por isso, visando conscientizar os mais novos sobre a importância de se combater o desperdício e incentivar o total aproveitamento dos alimentos, o chef de cozinha Bruno Justo irá promover, na própria quarta, uma oficina de culinária gratuita para crianças sobre como fazer o aproveitamento total dos alimentos.

A ação ocorrerá no Yolo Cozinha Contemporânea (Rua Dom Lara, 38 – Boqueirão), das 15h às 18h, com um grupo de 20 crianças e adolescentes, entre 11 e 13 anos de idade. Durante a aula, o chef irá mostrar para as crianças como cozinhar usando alimentos do fim de feira. E, ao final do evento, os pais poderão provar as criações das crianças.No restaurante, as crianças poderão ver o funcionamento da composteira, que ajuda a diminuir a quantidade de lixo, gerando adubo para a horta. Além disso, poderão entender o funcionamento de uma cisterna para captação de água da chuva, instalada no restaurante para utilizar essa água nos vasos sanitários e limpeza das áreas externas.

Diego Brígido

Editor da Revista Nove