Handmade: a cultura do feito à mão conquistou a Baixada Santista

Eles estão ganhando espaço em nossas casas, conquistando nossos paladares, guarda-roupas e invadindo nossa rotina.

Comprar direto de quem faz é cada vez mais comum nesse novo mundo de economia criativa e colaborativa. Não é à toa que os bazares coletivos se espalham pela região. É possível encontrar todo tipo de produto feito à mão, vendido, na maioria das vezes, por quem os produziu. As vantagens para quem compra são inúmeras, desde a exclusividade até os cuidados especiais nas embalagens, o preço mais justo e a possibilidade de conhecer a procedência do material. Possivelmente você não vai encontrar produtos handmade em shoppings e grandes centros comerciais, mas a internet oferece uma infinidade de opções e dá para garimpar muita coisa bacana em vários cantos da Baixada Santista.

Objeto Cerâmico

A Bárbara Anderáos é daquelas pessoas encantadoras, que exibe uma paixão inquestionável por sua arte. Ela é ceramista e está à frente da marca Objeto Cerâmico por Bárbara Anderáos, em seu atelier na Rua Liberdade, em Santos.

O processo de criação começa com a argila, que pode ser comprada em pacotes, já beneficiada, ou retirada diretamente da natureza, das jazidas. Ela amassa a argila para evitar que fiquem bolhas de ar, que podem trincar a peça no forno, e, então, leva ao torno de oleiro – quem assistiu Ghost sabe do que estamos falando. No torno, Bárbara molda a peça, sempre com a ajuda de água e, às vezes, com algumas ferramentas.

A peça seca normalmente de um dia para o outro, até voltar ao torno para dar acabamento. Mais um tempo para secar e vai ao forno por cerca de oito horas para a primeira queima, a queima de biscoito, a cerca de 900º. Neste processo, a argila já virou cerâmica, mas ainda não está finalizada.

É preciso esperar por mais oito horas para abrir o forno e, então, esmaltar as peças e aplicar decalques, quando for o caso. A produção volta para o forno, desta vez a 1300º, por mais 12 horas, para a queima de esmalte. Após 15 horas, ela abre o forno e voilà!: tigelas, moringas, vasos, copos, pratos, bandejas e outros objetos lindos e – o grande charme – completamente diferentes uns dos outros, irregulares e exclusivos.

Bárbara trabalha com cerâmica e porcelana há muitos anos e viajou bastante para aperfeiçoar a técnica. Ao retornar ao Brasil, se juntou a outros artistas de diversos segmentos em um atelier coletivo, onde produz e vende suas peças. Formou-se em Educação Artística e se apaixonou pela cerâmica durante o curso. Assim como a Lia, seus primeiros clientes foram amigos e familiares.

Hoje ela também participa de bazares e eventos para promover seu trabalho, além de divulgar nas mídias sociais e realizar oficinas para ensinar a técnica da cerâmica. Ela explica que a ideia das oficinas é conscientizar as pessoas sobre o processo handmade. ‘Eu gosto de deixar as pessoas à vontade para criarem o que vem na mente’. Segundo ela, após passarem por esta experiência, as pessoas dão mais valor àquilo que é feito à mão.

Você encontra as peças da Bárbara em fb.com/objetoceramico e @banderaos.

Costurar com amor

A Elisabeth Torres sentia falta de estar com a família e não estava realizada com o trabalho. Como sempre gostou de costurar, fazia bonecos de pano para os filhos. Certo dia, uma amiga postou uma foto de suas bonecas no facebook e as encomendas começaram a surgir.

No início, ela costurava de madrugada, depois de ter trabalhado o dia todo. O dinheiro que entrava ainda não era suficiente para abrir mão do emprego, mas Elisabeth tomou coragem, pediu as contas e foi se dedicar às bonecas.

Com a ajuda de uma parceira, a Karina Batista, ela criou a Sew with Love, marca de bonecas de pano e pioneira em naninhas para cinto de segurança na Baixada Santista. A Elisabeth costura cada peça e desenha à mão os detalhes, enquanto a Karina cuida da divulgação. ‘Nossas bonecas e naninhas são lúdicas e podem ser personalizadas conforme o gosto do cliente, por isso, elas nunca são iguais’, explica a empreendedora.

As naninhas são o carro-chefe, mas as bonecas decorativas da Frida Kahlo fazem sucesso e também são vendidas em diferentes composições. ‘Como a Frida usava penteados diferentes, tenho mais liberdade para criar e as clientes também escolhem o tipo da roupa e acessórios’. Elas também vendem bonecos sob encomenda e cada nova criação entra no portfólio. Com as bonecas, a renda da Elisabeth hoje é maior do que quando trabalhava fora de casa e ela ainda pode passar mais tempo com a família. Você encontra as bonecas e naninhas da Sew with Love em fb.com/SWLElisabethTorres e @SWLElisabethTorres.

Cheirinho feito à mão

Graça Costa criava óleos essenciais para consumo próprio. O sucesso entre os amigos também fez com que ela começasse a comercializar as essências, em 2001. Porém, não conseguiu conciliar com os outros compromissos e suspendeu o negócio até 2014, quando retornou e passou a ter como sócia a filha Melina Matsumoto. Publicitária, Melina cuida das vendas e divulgação dos produtos.

A marca Aroma de Hera trabalha com óleos essenciais, extraídos da natureza (flores, raízes, folhas e frutas), com foco no bem-estar e no equilíbrio emocional. Para isso, a dupla aprofundou o conhecimento sobre aromas e perfumaria, acompanhando pesquisas científicas e desenvolvendo novas sinergias.

São produtos como aromatizadores de ambiente, cremes, sabonetes, e perfumes pessoais, desenvolvidos com rigoroso controle de qualidade.

Melina diz que ‘os aromas atuam diretamente no sistema límbico, responsável pelas emoções e memória, despertando sensações agradáveis e trazendo uma experiência única para cada cliente’.

O público da Aroma de Hera é heterogêneo, ‘desde o profissional que adquire produtos que beneficiam a memória, a mãe que se preocupa com a concentração dos filhos, pessoas que sofrem com insônia, depressão, ansiedade, até noivas que têm utilizado os produtos para o convite dos padrinhos’, revela Melina.

Você pode encontrar as essências da Aroma de Hera em fb.com/aromadehera e @aromadehera.

Quem mais produz por aqui

Quem mais produz por aqui

Se você se interessou e quer mergulhar também na onda handmade, vai gostar de outras duas matérias que já fizemos por aqui. Conheça as marcas do Espaço MRN clicando aqui, e também alguns dos expositores do Encontro de Criadores aqui. Compre de quem faz e valorize a economia criativa local, você vai amar conhecer esses produtores!

Diego Brígido

Editor da Revista Nove